Associação Boa Semente - Depósito de Literatura Cristã

A semente é a Palavra de Deus

Lucas 8:11
Ir para a nova loja

Conheça a Nova Loja Virtual

Boa Semente 2017

Tradicional, letra grande e agenda

Aplicativo do Boa Semente

Leia as mensagens do devocionário no seu celular android

Devocional do dia
Estudo do dia
DOMINGO 26 MARCO
Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. E Jesus, respondendo, disselhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e sangue, mas meu Pai, que está nos céus. E também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela Mateus 16:15-18

CRISTO E SUA IGREJA

 O que era a pedra sobre a qual o Senhor construiria Sua Igreja? “Tu és Pedro”, Ele disse. Pedro era apenas uma pedra no edifício, que é o significado de seu novo nome. Ele não poderia ser o fundamento, a rocha sólida sobre a qual a Igreja seria  edificada. Arocha era a confissão que Cristo é o Filho do Deus vivo.
O Senhor agora dá a Simão seu novo nome, o nome espiritual que Ele já lhe havia atribuído quando se encontraram pela primeira vez. Seu novo nome era Pedro. Esse é o nome mediante o qual estava relacionado com o Senhor Jesus. Quando um homem aprende a verdade acerca do Senhor Jesus, ele entra num mundo completamente novo, tornando-se uma nova pessoa. O Senhor deu o novo nome a Simão Barjonas com objetivo de significar o novo lugar que este havia ocupado com sua confissão acerca do Senhor Jesus. Pedro ou Cefas era seu novo nome desde o início; porém agora o Senhor Jesus faz referência ao caráter desse nome.
Pedro falou aquilo que o Pai lhe tinha comunicado acerca de  Seu Filho, a verdade de Sua Pessoa. Mas o mundo e a nação judaica continuaram separados dessa revelação por negarem a verdade. Eles se opuseram ao Senhor Jesus. Eles não O desejavam. Ele era a Pedra que os construtores rejeitaram. Mas o Pai revelou a Pedro que justamente este era o fundamento, que era a natureza da rocha sólida – algo que não poderia ser derrubado por inundações, tempestades, tormentas e pelos artifícios maldosos dos homens. Seria algo que duraria para sempre.